Super Fruits Slot

Super Fruits Slot - Pneu tem prazo de validade? - Foto: Arquivo/Revista O Mecânico

Super Fruits Slot - Pneu tem prazo de validade? – Foto: Arquivo/Revista O Mecânico

 

Os pneus são itens que deveriam estar no topo de preocupações de um motorista ao realizar um check-up no veículo, mas são muitas vezes negligenciados. Há quem diga que basta uma rápida checagem visual para determinar se é hora de trocar ou não. Mas afinal, pneu tem prazo de validade? 

Segundo as empresas fabricantes de pneus, a resposta é não. Porém, a recomendação é não utilizar aqueles com mais de dez anos desde a data de fabricação, independentemente do estado em que eles estão. Outra importante recomendação é realizar uma checagem anual quando eles passam do quinto ano de vida, seja em uso ou estocado.  

Conversamos com algumas das principais fabricantes de pneus que atuam no Brasil (Bridgestone, Continental, Michelin e Pirelli) para saber detalhes sobre como devem ser conservados para durar mais. Confira os detalhes abaixo. 

 

|   LEIA MAIS: Quais informações levar em conta na escolha dos pneus?

 

Pneu tem prazo de validade? Não! Mas são necessários cuidados para garantir longevidade em sua vida útil

As fabricantes são categóricas ao afirmar que pneus não possuem data de validade, porém, elas apontam alguns fatores que podem acarretar na deterioração precoce e acelerada, seja em uso no veículo pelas ruas ou armazenado aguardando a instalação. Segundo as empresas, a manutenção adequada como a calibração correta, rodízio, alinhamento e balanceamento são fatores determinantes para garantir a longevidade.  

O gerente de Produto da Michelin América do Sul, Flávio Santana, afirma: “mesmo sem ter prazo de validade, é importante fazer a manutenção adequada – calibrar os pneus semanalmente, realizar o rodízio de pneus, bem como seu alinhamento e balanceamento – e estar atento a sinais de desgaste. Outro fator determinante na durabilidade do pneu é o perfil de direção do motorista. Dirigir de forma agressiva ou em locais com muito trânsito, que requerem frenagens constantes, tende a gastar mais o pneu.” 

Segundo as empresas, conforme os pneus vão sendo utilizados, passam por mudanças físicas e químicas que diminuem sua performance ao longo do tempo. Trafegar em solos muito irregulares e a forma como o motorista conduz o veículo podem fazer com que o pneu se deteriore de forma mais rápida.  

Outro fator importante que contribui para o desgaste do pneu é trafegar com uma carga superior a recomendada no veículo, não realizar alinhamento também contribui para o desgaste acelerado do pneu, assim como trafegar com a pressão inadequada.

 

Medição dos sulcos do pneu - Foto: arquivo/Revista O Mecânico

Medição dos sulcos do pneu – Foto: arquivo/Revista O Mecânico

 

Fatores externos como a alta ou baixa temperatura, radiação solar e a oxidação também desempenham um papel fundamental em relação à vida útil. O ressecamento nas fibras do pneu pode causar rachaduras e perdas na flexibilidade, alterando as características físicas e aumentando as chances de penetração de ar e produtos químicos, o que pode ser prejudicial ao pneu. 

O consultor de tecnologias inovativas da Pirelli, Roberto Falkenstein, afirma: “Os fatores externos que podem influenciar a vida útil do pneu incluem condições climáticas extremas, como calor ou frio intenso, exposição à luz solar e à umidade, além de contato com substâncias químicas, como óleo ou produtos de limpeza”. 

As fabricantes recomendam realizar inspeções anuais após o pneu completar cinco anos de vida, seja em uso ou armazenado. Para saber a data de fabricação do pneu, é necessário procurar os quatro últimos dígitos do DOT (Departament of Transportation), localizado na lateral do pneu. Os dois primeiros dígitos do número indicam a semana de fabricação, já os dois últimos apontam o ano.  

Além disso, é recomendado não utilizar pneus com mais de dez anos de vida, mesmo que estejam estocados. É o que afirma o gerente de Engenharia de Vendas da Bridgestone, Roberto Ayala: “Mesmo quando os pneus aparentam ser utilizáveis pela sua aparência externa ou a profundidade de rodagem ainda não atingiu a profundidade mínima de desgaste, recomenda-se que todos os (inclusive os estepes) que foram fabricados há mais de dez (10) anos sejam substituídos por pneus novos”. 

 

Indicação da data de fabricação do pneu - Foto: arquivo/Revista O Mecânico

Indicação da data de fabricação do pneu – Foto: arquivo/Revista O Mecânico


E o pneu armazenado, como fica? 
 

Quando estão armazenados e imunes às situações de uso no dia a dia, também são necessários cuidados para manter os pneus em boas condições para serem instalados nos veículos. Segundo as fabricantes, quando armazenados de forma correta, tendem a envelhecer de forma mais lenta, podendo durar até dez anos

A primeira regra a ser seguida é não os colocar na horizontal, empilhando um em cima do outro. A maneira correta de realizar a estocagem é colocá-los na vertical, um ao lado do outro. O local de armazenagem precisa também estar longe de fontes de calor que podem elevar a temperatura do local, ou que lugares que possam causar o congelamento nos pneus.  

O gerente sênior de Serviços Técnicos ao Cliente da Continental Pneus, Rafael Astolfi, falou sobre as condições adequadas de armazenamento. “Se as recomendações sobre a armazenagem correta dos pneus forem seguidas, não há redução da vida útil dos pneus. Entre os principais causadores de deterioração dos pneus estão o empilhamento inadequado, a alta temperatura e o congelamento”, diz o gerente. 

Outro ponto importante é evitar o contato dos pneus com o oxigênio e com ozônio vindo de motores elétricos. As fabricantes recomendam também fazer uma inspeção com um profissional de confiança antes de instalar no veículo um pneu que estava estocado.  

Pneus armazenados - Foto: divulgação/Pirelli

Pneus armazenados – Foto: divulgação/Pirelli

 

Recomendações de armazenamento para os pneus

 

  • Não empilhar os pneus um em cima do outro na horizontal; 
  • Armazenar o pneu longe de fontes de calor que podem aumentar a temperatura do ambiente; 
  • Armazenar o pneu longe de locais que podem causar o congelamento do produto; 
  • Evitar o contato do pneu com o oxigênio; 
  • Evitar o contato do pneu com o ozônio proveniente de motores elétricos. 

 

Nota: a Dunlop foi contatada para esta reportagem, mas não quis se pronunciar. Já a Goodyear preferiu também não responder às perguntas, mas declarou que orienta os proprietários de veículos a seguirem as orientações da Anip.

Texto: Daniel Palermo

Share This
Super Fruits Slot Mapa do site